SABEDORIA POPULAR

por Marcos P. Dias - m.dias(at)pgrad.unimelb.edu.au


figura2 FIGURA 2

RESUMO DO PROJETO

Este projeto busca inspiração nos ditos populares: feirantes promovendo suas barracas (mulher bonita não paga mas também não leva!), adesivos na caixa da padaria (fiado só amanhã…), sambas-enredo (ajoelhou, tem que rezar!...) e parachoques de caminhão (se ferradura desse sorte, burro não puxava carroça). O movimento tropicalista inspirou a temática visual do projeto e as instalações interativas de Lygia Clark, Hélio Oiticica e Rafael Lozano-Hemmer serviram de inspiração em busca do engajamento de participantes, sem o qual a instalação não faz sentido. O projeto visa desenvolver um banco de dados online colaborativo de ditos populares com conteúdo criado inteiramente por usuários, presentes tanto no espaço físico do projeto quanto online. Ao mesmo tempo, a intenção do projeto é de criar um espaço físico interativo em que participantes escolhem o nível de participação: criando novos ditos populares, votando ou simplesmente observando. Sabedoria Popular busca reapropriar tecnologias eletrônicas e usar uma interface simples e dinâmica para facilitar e incentivar a participação durante todas as fases do projeto, independente do nível de conhecimento técnico.

PALAVRAS CHAVE DO PROJETO

Sabedoria popular interativa arte eletrônica

DESCRIÇÃO DO PROJETO

A instalação consiste de duas partes: um website com um banco de dados controlado por PHP e uma instalação física. O website e dividido em quarto partes (ou janelas). (figura 4) A primeira janela permite ao visitante adicionar um dito popular com o seu nome e localidade (cidade ou pais) e personalizar imagens de pano de fundo pros dois monitores LCD da instalação física. O visitante do website também pode escolher a língua que está utilizando pro dito popular, e ele é traduzido automaticamente pro português (com resultados imprevisíveis e às vezes cômicos…) e adicionado ao banco de dados nas duas línguas (original e português). A segunda janela contém video ao vivo da instalação.


figura 4 FIGURA 4

Uma terceira janela contém uma lista de todos os ditos populares com o nome e cidade (ou pais) de quem as enviou, votos contra, votos a favor e um link que abre uma imagem (em formato JPEG) tirada da instalação física na parede quando o participante enviou o dito popular. Quando o visitante clica no link da imagem, ela pode ser vista na quarta (e última janela). A instalação física está dividida em duas partes: A primeira parte consiste de uma parede decorada com motivos tropicalistas com dois monitores LCD (com molduras de pintura douradas) situados em alturas diferentes, um alto-falante e dois pequenos painéis com LEDs. (figuras 1 e 2)


figura 1 FIGURA 1

A segunda parte consiste da area de participação do usuário, contendo um caixote de madeira com um laptop dentro (com a webcam do laptop apontando para a parede) e em cima da caixa um teclado de computador comum conectado a um monitor LCD de 2 linhas (monitor utilizado em caixas registradoras), um microfone, uma webcam e uma caixa de madeira com três controles (dois controles de pano de fundo dos monitores e um controle para congelar imagem da webcam). Em frente ao caixote, uma bacia de plástico invertida com uma almofada de estampa tropicalista serve de cadeira para o participante. Ao lado do caixote de madeira encontram-se mais três bacias de plástico invertidas com almofadas. (figura 3) Em frente a estas bacias encontram-se seis monitores LCD de 2 linhas (monitor utilizado em caixas registradoras) pendurados em uma estrutura de varal (podendo ser manipulados livremente): três monitores a 80 cm do chão e três monitores a 150 cm do chão. Em cada monitor, dois botões permitem a outros participantes votarem contra ou a favor de ditos populares expostos nos monitores.


figura 3 FIGURA 3

Quando um participante senta na almofada em frente ao caixote de madeira, a instalação inicia o processo de captura. A webcam captura a imagem do participante e transmite-a ao monitor LCD superior em forma de live video. À medida que o participante digita o seu dito popular no monitor LCD de duas linhas, o barulho das teclas é amplificado pelo alto-falante na parede e o dito popular aparece no monitor LCD inferior da parede. Usando os dois sensores de rotação, o participante pode escolher as imagens de pano de fundo para os dois monitores. Ao apertar o sensor em forma de botão, a imagem do monitor LCD superior na parede é congelada. Quando o participante levanta da cadeira, a imagem do seu dito popular e a sua imagem tirada pela webcam permanecem por 15 segundos (referência aos “quinze minutes de fama” – Andy Warhol) e o dito popular é adicionado ao banco de dados, junto com uma imagem JPEG tirada pela webcam embutida no laptop. Durante os quinze segundos, outros participantes podem votar a favor ou contra o dito popular utilizando os seis monitores LCD de duas linhas disponíveis na estrutura de varal ou votando online. Após os quinze segundos (ou quando ninguém está participando no espaço físico da instalação), outros ditos populares do banco de dados são mostrados de forma aleatória nos monitores LCD da parede e os seis monitores de duas linhas também mostram ditos aleatórios, permitindo aos visitantes votar neles. Os votos são adicionados ao banco de dados.

FORMATO EXPOSITIVO

O formato expositivo consiste de duas partes: um website com um banco de dados controlado por PHP e a instalação física em um ambiente interno com uma parede de 5 metros de largura por 2,5 metros de altura e um espaço livre (em frente à parede) de 15 metros quadrados (aprox. 5 por 3 metros). Na parede serão afixados dois monitores LCD conectados a um laptop com conexão Internet e capacidade de controle de dois monitores simultâneos por meio de cabos USB. Também sera afixado na parede um alto-falante conectado ao laptop. O laptop está localizado dentro de um caixote de madeira situado a três metros da parede, e a webcam embutida no laptop está posicionada em direção a parede. O caixote de madeira também serve como um mesa onde se encontra um teclado de computador comum, conectado a um monitor LCD de 2 linhas (monitor utilizado em caixas registradoras) e também ao laptop. No topo da mesa também se encontram uma webcam apontada em direção ao participante e um microfone que captura o som do teclado (ambos conectados ao laptop por cabos USB). Um processador Arduino Duemilanove conectado ao laptop por meio de cabo USB controla quatro sensores: dois sensores de rotação controlam a seleção da imagem de fundo dos monitores, e um sensor em forma de botão controla a captura de imagem da webcam que esta apontada em direção ao participante. O quarto sensor (de pressão) está embutido em uma almofada posicionada no topo de uma bacia de plástico invertida que serve de cadeira para o participante. Ao lado do caixote de madeira encontram-se mais três bacias de plástico com almofadas. Em frente a estas bacias, estão posicionados seis monitores LCD de 2 linhas (monitor utilizado em caixas registradoras) (três deles a 80cm do chão e os outros três a 150cm do chão) conectados em série ao processador Arduino. Cada monitor possui dois botões: o primeiro botão é acionado para votar a favor do dito popular no monitor, e o segundo botão para votar contra. Os seis monitores LCD ao todo encontram-se pendurados em uma estrutura em forma de varal (construida de madeira ou varal outdoor), de modo que possam ser manipulados livremente. O processador Arduino também está conectado a dois painéis compostos de LEDs posicionados na parede, uma com LEDs verdes indicando um voto de aprovação ao dito popular e uma com LEDs vermelhos indicando um voto contra.

DESDOBRAMENTOS IMAGINADOS PARA A PROPOSTA

Este projeto busca incentivar um processo de colaboração entre participantes online e presentes na instalação física através de “baixa tecnologia de ponta”, permitindo ao usuário participar direta ou indiretamente, ou simplesmente observar. A informalidade estética e brincalhona busca incentivar o engajamento criativo e livre dos participantes durante o processo de montagem da instalação e durante a exibição. O projeto busca colaborações nas areas de webdesign, eletrônica, marcenaria, design gráfico, pintura e tecelagem (opcional). A intenção do projeto é de que o website com o banco de dados de ditos populares continue ativo após a exposição. A parte física da instalação pode ser desmantelada e reposicionada em outros locais de exposição e neste caso conectado ao website novamente utilizando o banco de dados anteriormente coletado durante o Interactivos? ‘10 BH. Dessa forma, o website se transforma em uma forma de repositório democrático de ditos populares e também permite a participantes reverem sua colaboração online e compartilhar os ditos com amigos. Usando software de tradução, o website poderia “desafiar” a barreira da linguagem, permitindo a outros países acessarem ditos populares do mundo todo, embora com resultados imprevisíveis, algo como um experimento com conotações da Torre de Babel. Por exemplo, o famoso dito popular brasileiro: “A cobra vai fumar”, quando traduzido pro Inglês (“The snake will smoke”) não faz sentido algum, mas pode servir de inspiração ou motivo de risada, explorando os limites da tradução de forma criativa. Por meio de comandos eletrônicos simples, como botões e o teclado do computador, a instalação busca atingir um público eclético e evita interfaces complicadas. A disposição dos monitores LCD de 2 linhas em alturas diferentes e anexadas a estrutura em forma de varal por cabos flexíveis busca facilitar o acesso a todos. O website permite a participantes do mundo inteiro visualisarem o espaço físico por meio de uma webcam e também adicionar seus ditos populares, que, traduzidos em português, desafiam a capacidade de softwares de tradução e confirmam o fato de que nós humanos ainda possuimos uma (ligeira) vantagem perante computadores.

REQUISITOS TÉCNICOS

IMPORTANTE: o custo estimado foi calculado considerando a compra de todos os materiais novos, incluindo 2 monitores de 22 polegadas (com conexão de video USB) e um laptop, que combinados representam mais da metade do custo). A substituição de materiais (eletrônicos e todos os outros materiais) por recicláveis e a fabricação de certos componentes (estante, pintura ao invés de papel de parede, etc.) podem reduzir o custo de forma significativa! (sendo esta a prática preferida, embora não é possivel prever quais materiais poderão ser substituidos).

CUSTO TOTAL ESTIMADO (SEM CUSTOS DE TRANSPORTE): R$3660,18
ESTIMATIVA DE ADICIONAL PARA TRANSPORTE (20%): R$732,03
___________________________________________________________________
CUSTO TOTAL ESTIMADO: R$ 4392,21

PERFIL DOS COLABORADORES ESPERADOS

Espero poder contar com colaboradores em diversas areas como webdesign, eletrônica, marcenaria, design gráfico, pintura e tecelagem (opcional). Webdesign: colaboradores com experiência em criação e manutenção de websites com bancos de dados utilizando Javascript, PHP ou linguagens similares. Eletrônica e Programação: colaboradores com experiência em OpenFrameworks, C++, Arduino, Pure Data, hacking, LEDs. Marcenaria: produção de simples artefatos como estantes e caixotes. Design gráfico, pintura e tecelagem: colaboradores para compor o visual “tropicalista retro”. Pode envolver pintura da parede, de estantes, caixotes, bacias de plástico e tecidos das almofadas. Também gostaria de participar com quaisquer pessoas que não se enquadrem necessariamente nos perfis acima e que tenham interesse no projeto para colaborar com idéias ou para “pôr a mão na massa”!

CRONOGRAMA DE TRABALHO

A dinâmica do projeto requer uma abordagem multitarefa. Estimativa de horas de trabalho (executado por uma pessoa) para cada tarefa:

Espero que estas tarefas possam ser executadas paralelamente com coordenação (por uma ou mais pessoas) para que quaisquer problemas encontrados possam ser resolvidos durante o período de 14 dias sem alterar o cronograma.

RESUMO BIOGRÁFICO

Marcos Pereira Dias está fazendo um PhD no Programa de Mídia e Comunicação da Universidade de Melbourne, Austrália. Seu projeto de pesquisa investiga novas experiências de interação social produzidas por instalações digitais artísticas e educativas em espaços públicos, e seu trabalho é suportado pelo Institute for a Broadband-Enabled Society(IBES). Marcos formou-se em arquitetura na Universidade de São Paulo (USP), design de mídia digital no Letterkenny Institute of Technology, Irlanda, e em 2009 concluiu um mestrado com distinção em mídia digital interativa no Trinity College, Irlanda. Marcos trabalhou nas areas de de webdesign e produção de vídeo e participou de projetos colaborativos de design, incluindo a produção da interface CUBE (http://www.museumbuilding.org/cube.html), no qual ele publicou um artigo para o Parsons Journal of Information Mapping (http://piim.newschool.edu/journal/issues/2009/04/) e Designing Dublin (http://www.designingdublin.com/). Seus projetos estão catalogados em http://www.lightartworks.com.

MOTIVAÇÃO E EXPECTATIVAS

Durante o meu mestrado no Trinity College eu desenvolvi um profundo interesse por instalações digitais interativas e colaborativas. O meu interesse é em parte explicado pelo meu background em arquitetura e webdesign, mas principalmente inspirado por projetos que involvem a participação do público e provocam reações inesperadas e imprevistas, incluindo a colaboração entre estranhos, como Uncle Roy All Around You, por Blast Theory, e Body Movies, por Rafael Lozano-Hemmer. Eu também acredito que tecnologia deve ser simples e sustentável, e por isso o meu entusiasmo pelo lema do Interactivos?’10 BH me levou a pôr no papel idéias que eu vivia sonhando há tempos baseadas nestes princípios. Em trabalhos prévios (http://www.museumbuilding.org/cube.html e http://www.designingdublin.com/) tive o prazer de participar em projetos de design colaborativos com resultados muito positivos, e a plataforma de pesquisa e produção do Interactivos se encaixa perfeitamente neste perfil. O meu projeto de pesquisa na Universidade de Melbourne busca analisar novas experiências de interação social produzidas por instalações digitais artísticas e educativas, e para mim o meu projeto Sabedoria Popular possibilita desenvolver um projeto de design colaborativo in loco durante o workshop e exposição do Interactivos. Eu espero poder colaborar com pessoas de diversos backgrounds e inspirar nos colaboradores e participantes o mesmo entusiasmo que eu tenho pelo meu projeto.

CONHECIMENTO TÉCNICO

Tenho experiência em criar websites utilizando HTML e CSS (trabalho recente: http://www.culture-communication.unimelb.edu.au/platform/), em produção, filmagem e editagem de video e audio utilizando Logic Pro e Final Cut Pro e em fotografia utilizando Photoshop e cameras DSLR. Também desenvolvi projetos de design gráfico utilizando Adobe Illustrator, Indesign e Flash. Possuo conhecimentos básicos em projetos involvendo o uso de sensores e LEDs controlados por Arduino e Pure Data, e conhecimentos básicos de programação usando Processing, Javascript e PHP (todos adquiridos durante o meu mestrado). Utlizei previamente software de CAD design, e durante o meu curso de arquitetura eu projetei e construí uma cadeira em escala real (1:1) utilizando conhecimentos e ferramentas básicas de marcenaria.